Fabricar PC demanda 1,8 t de componentes

Para onde vai o lixo eletrônico do planeta?

CINTIA BAIO | Do UOL Tecnologia

   

Tente adivinhar: quantos quilos de matéria-prima são usados para a fabricação de um computador? Antes de dar seu palpite, leve em conta essa dica: "pense grande". Os números são astronômicos.

De acordo com um estudo divulgado pela Universidade das Nações Unidas, para a montagem de um desktop com monitor de 17 polegadas é utilizada cerca de 1,8 tonelada de componentes. Somente de combustíveis fósseis são gastos 240 quilos, além dos 22 quilos de produtos químicos e 1.500 quilos de água.

O DESTINO DO LIXO ELETRÔNICO
computador
Mas não é só na composição e fabricação das máquinas que os números assustam.

Com o barateamento do PC e o crescimento das vendas, a quantidade de lixo eletrônico —conhecido como e-waste— já chegou à casa de 50 milhões de toneladas no mundo, representando 5% de todo o lixo produzido pela humanidade.

Para ter uma idéia, se colocássemos todo esse lixo em vagões de um trem, a locomotiva do lixo seria capaz de dar a volta ao mundo.

E, para agravar ainda mais o problema, esses vagões seriam tóxicos. Entre as substâncias usadas para a fabricação de equipamentos eletrônicos figuram o mercúrio, arsênio e chumbo que, quando em contato com seres humanos, podem causar diversos danos à saúde (Confira tabela a seguir).
OS VILÕES DOS ELETRÔNICOS
Mercúrio Computador, monitor e TV de tela plana Danos no cérebro e fígado
Cádmio Computador, monitores de tubo e baterias de laptops Envenenamento, probelmas nos ossos, rins e pulmões
Arsênio Celulares Pode causar câncer no pulmão, doenças de pelo e prejudicar o sistema nervoso
Belírio Computadores e celulares Causa câncer no pulmão
Retardantes de chamas (BRT) Usado para prevenir incêndios em diversos eletrônicos Problemas hormonais, no sistema nervoso e reprodutivo
Chumbo Computador, celular e televisão Causa danos ao sistema nervoso e sanguíneo
Bário Lâmpadas fluorescentes e tubos Edema cerebral, fraqueza muscular, danos ao coração, fígado e baço
PVC Usado em fios para isolar corrente Se inalado, pode causar problemas respiratórios

E qual é a sua relação com esses números?

Até pouco tempo atrás, descartar o PC velho era uma tarefa relativamente fácil. As máquinas eram caras e existia muita gente disposta a economizar comprando um computador usado.

DO QUE É FEITO UM DESKTOP
25% de sílica
23% de plástico
20% de ferro
14% de alumínio
7% de cobre
6% de chumbo

Mas com tantas políticas de incentivo, o computador fica cada vez mais barato —e "dar um jeito" na velha máquina vai ficando complicado. O destino do velho e bom companheiro, muitas vezes, acaba sendo o lixo. O mesmo acontece, por exemplo, com o celular.

No Brasil, não existem leis que estabeleçam como e onde o lixo eletrônico deve ser depositado. A única resolução vigente dá jeito em pilhas e baterias, que devem ser devolvidas aos fabricantes. Outras, como o projeto para a proibição da venda de pilhas não-recarregáveis no Brasil e novas regras para o descarte de lixo eletrônico ainda são discutidas por deputados e senadores.

Restam, então, poucas alternativas: doar a máquina para instituições carentes ou devolvê-las para os fabricantes, vender o equipamento para empresas de reciclagem ou reaproveitar o seu PC para uma outra atividade, como transformá-lo em um roteador ou um servidor de impressão.

Para onde vai o lixo doado?

As entidades que recebem PCs antigos geralmente usam o equipamento em salas de informática própria ou repassam para outras associações que estejam precisando do equipamento.

Já as fabricantes, onde o mantra da TI verde ganha espaço, os equipamentos são reutilizados em produtos novos. Cerca de 10% do plástico utilizado pela HP para novos produtos, por exemplo, vem da reciclagem de equipamentos antigos, entregues por empresas e pessoas físicas.

Outras empresas, como a Xerox e a Oki Data, oferecem bonificações para companhias que participam de campanhas de reciclagem de cartucho.

Fonte: http://tecnologia.uol.com.br/ultnot/2008/02/26/ult4213u358.jhtm